Empresas:criatividade a bordo

*Texto de Diego Lima – Diretor de Arte

Em um mundo como o nosso, sempre procuramos coisas inovadoras, impensáveis. E quando o assunto é criatividade, algumas pessoas a tratam como algo mecânico. Mas não se lembram que ser criativo nada mais é do que seguir na direção em que outros não seguiram, ou seja, fazer o diferente.

Como-aumentar-a-criatividade-03O grande fator responsável pelo impensável, engloba tudo aquilo que não tem a ver com a área na qual você atua, ou mesmo, sua história de vida, experiências, filmes, livros etc. Enfim, tudo aquilo que não está incluso na grade curricular é o que te torna criativo.

Algumas empresas ainda insistem em adotar métodos arcaicos de gestão e isso acaba gerando um bloqueio criativo em seus colaboradores. Algo comum nas empresas é a valorização da quantidade e não a qualidade. Entretanto, um projeto elaborado com excelência evita ser refeito, estimula o profissional a buscar o aperfeiçoamento, sem falar que, um único trabalho bem feito, vale por vários sem valor algum.

Quantas vezes buscamos fazer algo criativo, mas acabamos sem motivação pelo simples fato de a empresa exigir mais produção ou algo em cima da hora? Métodos desse tipo não são interessantes para designers ou profissionais da área de criação, pois impossibilita o profissional de demonstrar toda sua capacidade criativa, e muito menos para a empresa, que sai perdendo no quesito qualidade.

Sabemos que o mercado está cada vez mais competitivo e a qualidade se tornou um adjetivo de obrigação para qualquer empresa que queira ser reconhecida. Para essa qualidade fluir melhor, é preciso dar liberdade para o profissional de criação. Isso faz com que o mesmo se sinta motivado, busque o aperfeiçoamento e faça valer a pena cada vez que a confiança for dada a ele para a realização de um projeto.

Profissionais que trabalham com a criatividade precisam mostrar que um projeto de qualidade impressiona muito mais do que uma grande quantidade de projetos sem valor algum. Vale refletir sobre isso.

Até a próxima!

Por | 2018-03-22T10:27:07+00:00 14 jul 2017|

Sobre o autor:

Deixar um comentário